.A Conspiração do Porco e o que o futuro tem a ver com isso

Junho 3, 2010 at 3:25 pm 11 comentários

Boa noite bons nerds e não nerds!!!  Como minhas postagens não estão rendendo tantos comentários o Pulga-San ficou cismado, logo, mesmo que seja para falar mal, apenas falem, ele se sente bem. Particularmente eu não estou nem aí se vão ou não comentar, mas fico agradecido por desperdiçarem o vosso precioso tempo lendo minhas inutilidades. Sinceramente. Meus assuntos e a pura vontade de escrever estão se esvaindo, então apenas peço paciência enquanto crio maneiras de ser interessante. Enfim, até os 30 últimos segundos que essa frase foi escrita eu não sabia sobre o que escrever, então pensei, “que tal escrever sobre vacinação?” e “RÁ! Tenho um tema!”, ou não.

Então vamos logo ao que nos (des)interessa

Eram umas 15h. O sol estava com um senso de humor um tanto sádico e o semblante dos transeuntes era de um desespero mesclado ao puro cansaço. Eu? Bem, não era muito diferente, visto que uma clara dor de cabeça pairava sobre mim e a visão do meu olho esquerdo estava começando a ficar turva, como ocorre quando eu desfaleço graças a minha periódica enxaqueca. Como meu MP3 player havia sido furtado, toda música que eu era visto catarolando, como agora, era apenas fruto de minha imaginação e graças a ela, não entrei em um processo de deterioração pscicológica quando um carro qualquer passou tocando Rebolation no último volume. Uma garota ensaiou uma coreografia ao ouvir a cacofonia, eu contive uma gargalhada, aquilo tinha sido hilário.

Quando cheguei ao posto de vacinação o tamanho exorbitante da fila me deixou claramente cismado. Aquela tendinha amarelada de velhice, com umas três enfermeiras trajando “uniformes” de um branco hipnotizante, caixas e mais caixas de isopor, uma lixeira com o símbolo de Lixo Hospitalar, sendo tudo isso em um espaço de no máximo 9m² e sem nenhum tipo de compensador para combater aquele calor absurdo. A fila, como sempre, o símbolo máximo da democracia, apresentava todo tipo de indivíduo. Pessoas de procedência claramente humilde, tinham em suas faces, além das marcas de uma vida louca, um claro semblante de insegurança perante a inevitável agulhada posterior. Eu ri. Jovens de diversas tribos urbanas faziam piadas cujo as quais eu mesmo não entendi. Um homem chega em um New Beatle prata, duas pessoas já haviam chegado após a minha chegada, ele passa indiferente por mim e por mais 15 pessoas, para defronte a um senhor caboclo, com cara de interiorano e com mãos calejadas por toda uma vida, toda uma vida. O home do New Beatle enfia a mão em um dos bolsos da calça “Pierre Cardin” e entrega ao senhor uma nota de 50 reais, amassada e então toma o lugar do homem de mãos marcadas. Eu obeservei tudo aquilo impassível. Imagino que ninguém estava muito a fim de observar o que estava ao redor. O senhor, agora, estava caminhando em direção a um banco, no outro lado da rua, eu o acompanhei com os olhos até ele ficar distante o suficiente para meu olhar se perder em meio a multidão.

Dentro da tenda, as três enfermeiras estavam empenhadas em seus respectivos ofícios. Parecia uma pequena série de montagem fordista, o que me fez pensar em Chaplin. Uma aplicava a dosagem, uma outra montava a vacina e a última anotava algo, acho que nas cadernetas de vacinação, enquanto tomava água de côco. A fila andava vagarosa mas constantemente, sem interrupções. Um homem passa correndo, cortando a fila como faca na manteiga. Essa cena me lembrou Usain Bolt e que ele não seria nada perto daquele que passava quase que deslizando, em meio aquela multidão impaciente.

“VACINE-SE AQUI CONTRA O H1N1!” e blá, blá, blá…

Assim dizia o stand preso de maneira imprópria à tenda. Eu já havia lido aquilo centenas de vezes, mas não havia refletido o suficiente. Se é que existia algo para se refletir perante aquilo.

Vacinas e Brasil me lembram a Revolta da Vacina de 1904. Revolta popular que ia de encontro com a proposta de vacinação obrigatória da população, idéia propósta por Oswaldo Cruz, ninguém menos que o homem que combateu a peste bulbônica, a váriola e muitas outras enfermidades que assolavam o país, sem contar que seu nome batiza o Trypanossoma Cruzi, agente causador da Doença de Chagas.

A Gripe A (ou gripe suína, acho mais impactante) apareceu “do nada” e já como um marco histórico memorável, botando o planeta em estado de alerta e possivelmente, em quarentena permanente. Ela se originou da mutação conjunta do influenza suíno, humano e aviário, formando uma nova gripe, uma nova cepa, menos letal do que a Gripe Aviária, porem muito mais contagiosa do que a Gripe comum.

Durante o surto de Gripe Espanhola no início do século XX, os porcos desenvolveram sua própria gripe, com sintomas muito semelhantes aos sintomas humanos, quando estes estão sujeitos a gripe comum. Porém a Gripe Espanhola desapareceu tal como ocorreu, simplesmente “do nada”. Agora, no princípio do século XXI os “porcos se vingam” e passam o “toque da morte” para nós (um Raito suíno?). Mas será que devemos nos alarmar tanto? Ou então… Será que isso foi apenas mais um capricho da natureza? Ou o homem tem culpa no cartório?

Inúmeros estudos apontam que a superpopulação irá destruir a humanidade e, caso não se tome uma medida ortodoxa, guerras serão inevitáveis. Quando digo ortodoxas eu me refiro ao controle do aumento da população mundial e nada melhor do que uma arma biológica para que isso ocorra de maneira global! Obeserve que a Gripe A se originou entre os EUA e o México e posteriormente Europa, Ásia, Oceania e América do Sul e Brasil.

Tudo bem que todo isso pode ser apenas paranóia minha, esta fazendo um calor insuportável e justamente agora a fila resolve para de vez. Uma das enfermeiras se espetou. Uma das únicas coisa que me veia a cabeça foi HIV.

Mas o que não corrobora com essa teoria é o fato da Gripe A não ser letal o suficiente, não como a Gripe Espanhola fora, longe disso. Porém deve-se observar a abrangência dela e ainda mais, de sua possível cura, a vacina. A vacina contra a Gripe A vai imunizar maior parte da população mundial, sendo que, em sua maioria de imunizados estão idosos e mulheres acima de 30 anos, logo, indivíduos que, teoricamente passaram ou estão passando de seu tempo produtivo. Há o que se pensar.

Em meu breve momento de paranóia uma senhora tentava furar fila e ficar na minha frente. Eu olhei aquela situação cômica com um certo desprezo. O grupo de  aborrecentes adolescentes estava rindo, o que não me surpreendeu.

  • A senhora deseja algo? – Perguntei a senhora

Ela olhou para mim com um olhar de surpresa e de claro desconcerto. Após tentar desnecessariamente controlar a vermelhidão da face ela se virou para mim com um sorriso amarelo e perguntou se ela podia fica na minha frente, eu disse um entusiasmo que a deixou ainda mais constrangida.

  • CLARO! Pode me passar querida! – Meu cinismo, apesar de claro, foi retratado de uma forma quase que holywoodiana.

A mulher semicerrou os olhos e riu com a boca, mas não com os dentes. Eu ri cinicamente.

O tempo passou terrivelmente rápido e quando eu realmente consegui voltar ao meu estado de reflexão uma voz aguda me tirou do transe.

  • Ei rapaz? Sua identidade por favor… – disse a enfermeira que agora ja estava no quarto copo de água de côco
  • Que? Ah sim… Toma ela aqui, ó. – disse eu
  • Mas você so tem 18 anos! Você é doido? Quer ficar estéril?

Eu me contive para não arregalar os olhos. Não é possível que eu estava certo!

  • HAHAHA – riu a moça – É brincadeira! Vai ali com a Andrea… Mas não me culpe se você ter câncer antes de todo mundo!

O meu breve momento de alívio se esvaiu imediatamente. Como assim CANCER?

  • HAHAHA… É só brincadeirinha!

Raios!

D_Head

Advertisements

Entry filed under: Anti-Cultura. Tags: , , .

.Minhocas e um papinho sobre empresas .Vá se barbar, cidadão!

11 comentários Add your own

  • 1. Fabricio  |  Junho 4, 2010 às 7:07 pm

    hahah bem legal seu jeito de ver o dia
    e a foto eu dei mta mta risada

    Responder
  • 2. Deise  |  Junho 4, 2010 às 8:02 pm

    Eu sou meio ‘sem humor’ para esse tipo de coisa,me refiro ao fato do ‘CANCER’..’brincadeirinha’,principalmente qdo o assunto é relacionado a saúde.E eu nem me vacinei contra H1N1,acredito que todo esse barulho que a mídia e demais fizeram,não condiz muito com a realidade.
    Parabéns,Moviment0..os posts estão cada dia melhores!!^^

    Responder
  • 3. Dr.Yuri  |  Junho 5, 2010 às 11:50 am

    não sei se dou risada ou fico preocupado com as implicações da vacina.
    a minha paranoia por conspirações me diz pra tenttar me desvacinar,
    mas reza a lenda que a vacina e um chip pra te fazer votar na Dilma

    Responder
    • 4. gbatista  |  Junho 6, 2010 às 2:19 pm

      Er… quais implicações da vacina?

      Só sei que ela me deu uma febre por uns 4 dias, reação normal a quase todas as vacinas que tomei, e que ela podia dar falsos positivos em exames de HIV até um mes depois de tomar a dita cuja.

      Responder
  • 5. Pulga  |  Junho 5, 2010 às 1:17 pm

    Cancer? Pronto, agora tenho mais um motivo para continuar não-vacinado (falando sério, não fui e nem serei) haha. Minha vó ficou três meses internadas após a vacina. Não sei se foi pela vacina ou coincidência, mas meus tios se recusaram a tomar o mesmo – depois dessa, passaram a acreditar em conspirações como aquela historia da AIDS ser de laboratorio.

    Enfim, no final foi vacinado mesmo?

    PS: Depois dessa “hollyodiana” (como disse o propio) atuação cinica, não sei quando e como devo acreditar mais no Head, rs.

    Responder
  • 6. Ryan  |  Junho 6, 2010 às 8:01 pm

    Fui “vacinado”, mas acho que era só água na seringa, ou sei lá, por que não tive nenhum efeito colateral.

    Eu nem tenho idade pra tomar essa vacina, na real, mas meu pai é enfermeiro, deu um jeito e etc… ou pelo menos ACREDITA :D

    Se fui vacinado REALMENTE ou não… não se sabe. Só sei que fui até a porra do hospital, perder meu tempo!

    :)

    Responder
  • 7. Gizele  |  Julho 5, 2010 às 2:26 pm

    É, D. Tava com saudades do seu humor ácido. xD
    adorei :D

    Responder
  • 8. Renata  |  Julho 5, 2010 às 10:47 pm

    EU DISCORDO!!!!!!!!!! D<

    Só pelo prazer infinito de discordar de você!

    Responder
    • 9. D_Head  |  Julho 6, 2010 às 11:39 am

      Malditos comunistas…

      Responder
  • 10. Salvador  |  Agosto 17, 2010 às 6:24 pm

    Essa Renata é chata hein?
    kkkkkkkkkkkkkk
    Belo post, apesar das palavras serem de difícil discernimento para o meu cérebro..auhauhuah

    Responder
    • 11. Renata  |  Agosto 28, 2010 às 2:23 am

      Eu discordo, salvador

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 20 outros seguidores


%d bloggers like this: